Governo cria site para viajantes portugueses se registarem

Uma informação interesante retirada do Diário Digital:

“Os portugueses que vão viajar para o estrangeiro podem registar-se no site da Secretaria de Estado das Comunidades [Nota da Diplomata Tours: O registo deve ser feito neste endereço: http://www.secomunidades.pt/web/guest/regviajantes], a partir de hoje, para poderem ser contactados caso surja alguma situação de crise no país onde estão.

O objectivo do Governo ao lançar este novo serviço – «Registo de Viagem» – é ter uma noção de quantos portugueses estão de férias ou em negócios no estrangeiro e evitar situações como as que ocorreram recentemente com os atentados na Índia e as manifestações na Tailândia, onde diariamente surgiam novos portugueses.

«Nestas situações o tempo é muito importante e com este sistema antecipamos o trabalho de pesquisa (de cidadãos)», disse o secretário de Estado das Comunidades, António Braga.

De acordo com o governante, tanto na Índia como na Tailândia, «o aparecimento sucessivo de cidadãos nacionais que se apresentavam» aos diplomatas portugueses naqueles países «foi crescendo de dia para dia em função do agravamento da situação e não permitiu, desde o início, conhecer com rigor os portugueses que se encontravam localmente a viajar».

«Acarreta maior dificuldade quando as circunstâncias de informação sobre o número de pessoas que está em cada momento em cada país não é claro, para a rede diplomática e consular poder dar esse apoio», disse.

O sistema agora criado vai permitir «ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, por vontade própria das pessoas que vão viajar, conhecer em cada momento o número de pessoas que estão nos diferentes países para onde há viagens organizadas e, a partir desse registo, monitorizar as diferentes situações e, se necessário, contactar as pessoas e mobilizar recursos para intervir», indicou.

«Permite também sabermos quais os meios no terreno disponíveis para, numa primeira instância, podermos activar os meios de socorro», acrescentou o secretário de Estado.”