Impactos das alterações climáticas no turismo deverão duplicar nos próximos 30 anos

Deixamos aqui reprodução da notícia publicado no Público:

“Os impactos das alterações climáticas no turismo poderão mais do que duplicar ao longo dos próximos 30 anos, revela um relatório da ONU, divulgado hoje numa reunião internacional em Davos (Suíça). Este é um sector que está a sofrer com um fenómeno para o qual ele próprio contribuiu, advertiu a ONU.

Os destinos de viagem que incluam as regiões costeiras ou montanhosas, especialmente nos países pobres ou em ilhas como as Maldivas, poderão ser os mais afectados pelas alterações climáticas e pelo aumento do nível médio do mar, revela o relatório.

As zonas temperadas poderão passar a receber mais turistas, enquanto os países menos desenvolvidos começarão a perdê-los.

“As alterações climáticas são reais, os seus efeitos estão provados e o sector do Turismo é uma das partes interessadas”, declarou o secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), Franco Frangialli.

Os representantes das agências da ONU, ministros, responsáveis de empresas e especialistas em clima estão reunidos por três dias em Davos.

Segundo a OMT foram realizadas cerca de 842 milhões de viagens em todo o mundo no ano passado. O número de viagens internacionais deverá chegar aos 1,5 mil milhões em 2020.

Os transportes, alojamento e outras actividades turísticas contam com entre quatro e seis por cento do total das emissões de gases com efeito de estufa, segundo o relatório.

O crescimento contínuo do sector poderá levar a um aumento de 150 por cento das suas emissões nos próximos 30 anos, advertem a OMT, o Programa da ONU para o Ambiente (Pnua) e a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

A conferência de Davos vai preparar a ordem do dia de uma reunião ministerial sobre o Turismo e o Clima, marcada para 13 de Novembro, em Londres.”

Como por várias vezes foi já aqui notado, parte da consciência de todos (indivíduos e empresas) contribuir de alguma forma para resolver os problemas das alterações climáticas. No que diz respeito à nossa empresa, continuamos a estudar diversas alternativas  para termos uma contribuição positiva para este esforço que deve ser de todos. Sigam o nosso blog para mais novidades e informações.